Este é o meu espaço... e o de tod@s aquel@s... Que as suas as vidas são movidas por desafios! Que acreditam que um mundo melhor é possível! Que acreditam em UTOPIAS... por isso vamos UTOPIAR!

.posts recentes

. Autarquia promove Camp...

. Já tens a tua Agenda 2010...

. 20 de Março de 2010- Vamo...

. Yike Bike...

. BIBLIOTECA DIGITAL GRATUI...

. Filósofo Lipovetsky defen...

. O hipnotizador

. Jardim Botânico de Coimbr...

. Os dez mandamentos para e...

. Hoje comemora-se o Dia Na...

.arquivos

. Junho 2010

. Janeiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

Quinta-feira, 10 de Julho de 2008

O que pode fazer para ter uma cidade feliz?

O PSICODRAMA DA ÉTICA

 

"Um encontro de dois: olhos nos olhos, face a face.
E quando estiveres perto, arrancar-te-ei os olhos
e colocá-los-ei no lugar dos meus;
E arrancarei meus olhos para colocá-los no lugar dos teus;
Então ver-te-ei com os teus olhos e tu ver-me-ás com os meus."

(Moreno)

 

 

«A situação mundial pede-nos atenção. A globalização pede-nos abertura de grande angular. Porém, as coisas só acontecem num locus, nas relações e nas acções. Ésempre a partir das tramas tecidas nos grupos que a cultura vigente se constrói. Mas é preciso recriar-se, dado que as ferramentas actuais parecem ultrapassadas frente a este início de milénio e as suas vertigens. Portanto, o momento exige uma mudança dessa geografia mental», refere Marisa Greeb, coordenadora desta até então inédita iniciativa que ocorreu em São Paulo, um evento que ficou conhecido como Psicodrama da Ética e que teve um tema comum para ser trabalhado por todos: Ética é Cidadania. Cada grupo trouxe temas próprios das suas vivências individuais em casa, na rua, no bairro, na cidade. Desemprego, ausência de habitação, ineficiência dos transportes públicos, violência, droga, dificuldades em receber as pensões, foram apenas alguns dos problemas abordados. Através do individual identificou-se o cancro da cidade.
Ao olhar o passado, Greeb recorda que esta acção marcou, inevitavelmente, um tempo na história dos paulistanos que voltaram a sentir a sensação de pertencer a um colectivo, discutindo e assumindo a sua própria cidadania. «Se pensarmos em protagonista como se pensa no sociopsicodrama, o indivíduo nunca é um indivíduo descolado do seu contexto. Pensamos sempre indivíduo-grupo como uma única palavra. Portanto, a experiência cidadã de um só é possível se for permitida pelo seu grupo. A experiência individual, desde que contextualizada, pode contribuir para desvelar os valores que fundamentam a cultura da cidade e as acções de seus cidadãos.»

 

Texto: Pedro Justino Alves

 

S@ber+: http://immagazine.sapo.pt/uma_cidade_feliz_pt/


publicado por DesafiarTe às 23:02

link do post | comentar | favorito

A Não Perder...

tags:

publicado por DesafiarTe às 22:51

link do post | comentar | favorito

.DesafiarTE

.pesquisar

 

.Junho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.tags

. todas as tags

.links

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds